Buscar Genéricos
Consulte aqui sobre os
medicamentos genéricos
Notícias
Primeira Pessoa: Consumidor paga muito imposto para comprar medicamentos

Primeira Pessoa: ‘Consumidor paga muito imposto para comprar medicamentos’ 

Jornalista: Mônica Scaramuzzo - O Estado de São Paulo

29/10/18 - A indústria farmacêutica produtora de genéricos está otimista com a retomada do crescimento a partir de 2019. Telma Salles, presidente da Pró-Genéricos, entidade que representa os laboratórios, disse que os desafios do setor passam pela redução da carga tributária e ampliação do acesso a medicamentos, bandeiras defendidas pelas indústrias nos últimos anos. De acordo com ela, as indústrias continuam comprometidas a fazer os investimentos, mas é preciso maior previsibilidade para que as companhias possam pensar no País a longo prazo. “O consumidor brasileiro paga muito imposto para comprar medicamento.
É preciso reduzir a carga tributária”, afirmou a executiva.

l Qual a principal agenda de discussão das indústrias produtoras de genéricos?

Estamos depositando nossas expectativas em uma agenda positiva para o setor. Batalhamos por um marco regulatório previsível para garantir que os investimentos não sejam desperdiçados e pela ampliação do acesso a medicamentos. O Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) não pode ficar de fora dessas discussões. Batemos sempre o martelo nessa questão.

l A entidade participou ativamente das discussões políticas?

Participamos por meio de uma comissão do setor para saúde. Não discutimos agenda com candidatos especificamente.

I Houve um movimento de concentração do setor em um passado recente no País. Acabou o interesse de se investir em ativos no Brasil?

Não vejo desta forma. Acho que temos empresas bem consolidadas no Brasil, mas o custo aqui é muito alto. As empresas estão dispostas a manter seus investimentos, de 6% a 9% de seu faturamento no Brasil em medicamentos. Há um maior movimento para desenvolver os biossimilares.

l Quais são os principais desafios para 2019?

A discussão da saúde como um todo tem de estar na agenda política. A ampliação de acesso aos medicamentos é uma pauta que sempre discutimos. Afinal de contas, saúde é prevenção.

l As vendas de medicamentos este ano superaram as do ano passado?

De janeiro a setembro deste ano, o mercado de genéricos registrou vendas de 1,3 bilhão de unidades. Esse volume representa 11% de crescimento sobre o mesmo período do ano passado. Nos 12 meses até setembro, foram vendidos 1,2 bilhão de unidades de genéricos no país, alta de 11,78% em relação ao período anterior. O market share dos genéricos fechou setembro em 33,42% de participação do mercado total.